Reading Exercise

[Reading Exercise] How foreigners see Brazilians

Passing the mouse cursor over text in bold will show the translation.

Como os estrangeiros veem o brasileiro

Muito além do trinômio samba-praia-futebol, gringos que moram no País apontam a falta de autoestima local e outros detalhes que não estamos acostumados a enxergar

Quando o roqueiro australiano Nick Cave se mudou para São Paulo, em 1990, teve de admitir que o Brasil não era seu lugar. Três anos depois ele foi embora, pois não suportava1 a cultura de sociabilidade do brasileiro. “Ele é sorumbático, mais solitário, e não gregário como o povo daqui. Nick dizia que não aguentava esse jeito sociável”, relembra ao iG o americano Matthew Shirts, jornalista e brasilianista, radicado no País desde 1976.

O americano Todd Harkin no Rio: no Brasil, ele percebeu a diferença de ritmo

Se o anglo-saxão mantém certa distância do outro, o brasileiro é inclusivo. Gosta de gente, de interagir,2 de juntar todo mundo para celebrar. Daí o fato de a adaptação de um estrangeiro ao Brasil ocorrer naturalmente. Este traço é bastante sublinhado por boa parte dos estrangeiros que moram aqui. “Tem aquela coisa de botar mais água no feijão”,3 Matthew diz, aos risos, sobre o imenso capital social do Brasil. “Fui adquirindo essa coisa mais ‘pegajosa’ nesses 27 anos,4 mas nos Estados Unidos isso pode gerar uma acusação de assédio sexual”, afirma.

A propalada5 sociabilidade brasileira é um dos mais manjados cartões de visitas do País,6 mas ainda encontra meios de surpreender quem vem de fora. “O maior choque cultural foi a ótima receptividade das pessoas com alguém que não conhecem”, diz o engenheiro de informática francês Olivier Teboul, 29 anos, ao lembrar do dia em que colocou os pés no Brasil, há quase dois anos.

“Saí do aeroporto com três números de telefone de gente que disse ‘qualquer coisa, pode me ligar’. “Psicologicamente é um apoio enorme, me senti acolhido”,7 afirma. “Acho que, na França, para um estrangeiro é mais difícil se integrar em um grupo de franceses sem conhecer ninguém do grupo”.

Há algumas semanas, Olivier ganhou repercussão nas redes sociais com o post de estreia de seu blog, em que listou 65 impressões e costumes dos brasileiros que lhe causaram surpresa. Elas vão de observações divertidas – “Aqui no Brasil, comida salgada é muito salgada e comida doce é muito doce. Até comida é muita comida” – a coisas que jamais supomos ser espantosas para alguém, como “Os brasileiros escovam os dentes no escritório depois do almoço”.

Também fez referências ao clássico complexo de vira-latas8 brasileiro (“Aqui no Brasil, as pessoas acham que dirigir mal, ter trânsito, obras com atraso,9 corrupção, burocracia, falta de educação,10 são conceitos especificamente brasileiros. Mas nunca fui num país onde as pessoas dirigem bem, onde nunca tem trânsito, onde as obras terminam na data prevista,11 onde corrupção é só uma teoria, onde não tem papelada para tudo e onde tudo mundo é bem educado!”)12 e não poupou elogios13 ao que acha interessante: “Aqui no Brasil, pode pedir a metade da pizza de um sabor e a metade de outro. Ideia simples e genial”

Tampouco deixou passar inoperâncias famosas: “Aqui no Brasil, o sistema sempre tá ‘fora do ar’. Qualquer sistema, principalmente os terminais de pagamento de cartão de crédito” e “Aqui no Brasil, tem um organismo (sic) chamado DETRAN. Nem quero falar disso, não saberia por onde começar…”

“São observações, não tem juízo de valor”, conta Olivier, rebatendo críticas14 de brasileiros que deixaram comentários pouco gentis em sua página. “A coisa que achei mais legal, e que era totalmente não intencional, é que se gerou uma reflexão dos brasileiros sobre o Brasil, sobre a identidade brasileira”.

Read More Here…

1 não suportava  couldn’t stand/bear 
I can’t put up with it. Eu não suporto isso. 
I like summer, but I can’t stand the heat. Eu gosto do verão, mas eu não suporto o calor. 
2 interagir  interact 
One way to learn a foreign language is to interact with native speakers of that language. Uma das maneiras de aprender uma língua estrangeira é interagir com falantes nativos desse idioma. 
3 botar mais água no feijão”,  “put another potato in the pot”; “there’s always room for one more” 
-Pode vir jantar aqui hoje, não tem problema. A gente bota mais água no feijão (fazer render mais)-You can come have supper with us tonight, it’s no problem. There’s always room for one more/We’ll just put another potato in the pot. 
4 “Fui adquirindo essa coisa mais ‘pegajosa’ nesses 27 anos,  I started picking up this “clingy/annoying” thing (habit) at 27 years of age 
[def] pegajoso: pejorativo que impõe a sua companhia aos outros (i.e., a leech or someone clingy, and thereby annoying. In fact, a typical definition is just that: annoying) 
5 propalada  much talked about 
A propalada era digital parecia então uma realidade distante. 
Mesmo assim, a propalada eficiência defensiva do nosso time está longe de existir. 
A única medida propalada aos quatro ventos é o combate à água parada, como se isso fosse possível. The only measure touted from the rooftops is combatting stagnant water, as if that were possible. 
6 mais manjados cartões de visitas do País,  oldest calling cards of the country 
Já tá manjadoBeen there, done that! (manjado = muito conhecido, que não encerra supresa ou interesse; banal) 
O Carlos conta as mesmas piadas todos os dias, elas já ficaram manjadas (they’ve gotten old already)
7 acolhido  welcome 
I received a warm welcome. Eu recebi uma acolhida calorosa. 
My colleagues warmly welcomed me. Meus colegas me acolheram calorosamente. 
8 complexo de vira-latas  (unshakable belief that Brazil is somehow inferior to the rest of the world) 
Complexo de Vira Lata – Wikipedia 
9 obras com atraso,  public works behind schedule 
A conferência começou com um atraso de meia hora 
Chegou tarde e pediu desculpas pelo atraso
I apologized profusely for my being late. Eu peço profusas desculpas por meu atraso
I was late as a result of the train delay. Eu cheguei tarde como resultado do atraso do trem. 
10 falta de educação,  lack of manners 
I can’t stand his impoliteness. Eu não suporto sua falta de educação
It is bad manners to eat with a knife. É falta de educação comer com uma faca. 
11 na data prevista,  on schedule 
Everything fell out as I expected. Tudo saiu como o previsto
No one could have predicted this. Ninguém poderia ter previsto isso. 
The meeting is scheduled for 10 a.m. A reunião está prevista para as 10h00. 
12 bem educado!”)  well behaved (“bem-educado”) 
Japanese people in general are polite. No geral, os japoneses são bem-educados
13 não poupou elogios   lavishly praised (did not hold back praises towards) 
Ontem, o ministro das Finanças não poupou críticas à proposta. 
Aguero justificou as escolhas e não poupou elogios a Ronaldo. 
14 rebatendo críticas  rebutting criticism 
Rebateram críticas e alfinetaram a Globo. They rebutted criticisms and made sharp criticisms of Globo. 

icon_promo_basic5

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s